Passeio de outono: Museu e Parque de Estátuas Rudolph Tegner

O Museu Rudolph Tegner visto do Parque de Estátuas.

Mudança de estacão, primavera no Brasil, me faz lembrar que há mais ou menos um ano, no início do outono europeu, visitei o Museu e Parque de Estátuas Rudolph Tegner e fiquei fascinada pelo lugar. Situado a 55 quilômetros de Copenhague, a capital dinamarquesa, na pequena cidade de Drønningmølle, o museu reúne obras do escultor, pintor e arquiteto dinamarquês Rudolph Tegner (1873 – 1950) e foi planejado e desenhado pelo próprio artista.

Parte de Estátuas Rudolph Tegner, Dinamarca

Erguido nos anos de 1937 e 1938, o museu foi uma das primeiras edificações no mundo a serem construídas com concreto e por isso se tornou um exemplo do quanto Tegner era visionário. Tem dimensões enormes para comportar algumas esculturas gigantescas de Tegner, que foi fortemente influenciado pela arte clássica. A entrada, bem pequena em relação ao tamanho da construção, dá aos visitantes a impressão de se estar penetrando numa caixa de tesouro. Figura polêmica, o trabalho de Tegner foi durante muito tempo pouco valorizado na Dinamarca e recebeu mais reconhecimento em países como Franca, Grécia e Itália, para onde ele viajou frequentemente atrás de inspiração.

Detalhe do Parque de Estátuas Rudolph Tegner.
Detalhe do Parque de Estátuas Rudolph Tegner.

O Museu já vale a visita, mas o que mais me fascinou mesmo foi o Parque de Estátuas, onde estão expostas 14 obras do escultor. As estátuas compõem um cenário de sonho na paisagem que foi mantida praticamente como o artista a viu pela primeira vez no verão de 1916. “No meio da risonha e quente Dinamarca havia uma Sibéria áspera” (minha tradução livre), escreveu o artista para descrever o lugar marcado por leves ondulações cobertas por vegetação rasteira.

Antes ou depois de conhecer o interior do museu, deve-se obrigatoriamente passear, correr, andar pelo Parque, que está em terras que Tegner começou a comprar no mesmo dia em que, fazendo um passeio de bicicleta, conheceu o local.

O parque é um ótimo exemplo de como os dinamarqueses são bons em combinar apreciação de obras de arte com áreas naturais. Outro bom exemplo disso é o Museu Louisiana, mas isso é assunto para uma outra postagem.

Mais informações sobre Tegner e sua obra, o museu e sobre como chegar lá podem podem ser encontradas no site do Museu e Parque de Estátuas Rudolph Tegner.

Anúncios

Seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s