Sabores da Dinamarca

Pequeno guia de quem ainda está em ritmo de férias

Home made rugbrød.
O famoso rugbrød. Foto via Wikipedia.

Dias atrás, preparando as malas para férias de duas semanas na Dinamarca, percebi o quanto eu havia sentido falta de algumas coisinhas de lá. A lembrança do sabor e do cheiro de produtos quase banais por aquelas bandas mas difíceis de encontrar aqui me deu água na boca e me guiou na hora de planejar o que eu “precisava” fazer enquanto estivesse na Dinamarca.

Pelas padarias
No topo da minha lista de produtos que eu deveria voltar a comer ou beber estava o pão de centeio (rugbrød) que, para os dinamarqueses é quase como o nosso arroz com feijão, de tão frequente que é na dieta de boa parte da população. O rugbrød é o usado para os tradicionais sanduíches abertos consumidos rotineiramente no almoço. Diferentes versões de pães de centeio podem ser encontradas em todas as padarias e supermercado do país: com castanhas, sementes de girassol, abóbora ou gergelim, com cenoura, flocos de aveia etc. Nutritivo e rico em fibras, o rugbrød das prateleiras dos supermercados é sempre uma boa escolha alimentar, mas para provar um dos pães de centeio mais gostosos que há, é preciso ir a uma delas e pedir o pão recém-assado.

Há inúmeras boas padarias espalhadas pelas cidades, inclusive no centro de Copenhague. Uma boa opção para um lanche rápido numa das situadas no centro da capital dinamarquesa é o rugbrødsbolle (leia, se puder, mais ou menos como “rôguibrôsbóle”) que é um pão pequeno e redondo feito com a mesma massa do pão de centeio, frequentemente coberto com sementes de abóbora ou flocos de aveia.

Além dos pães de centeio, as boas panificadoras do país oferecem uma gama imensa de pães que fazem o primo francês das nossas padarias murchar de constrangimento. Lá se encontra o pão de Graham, vários tipos feitos com trigo duro, ciabatas e o delicioso pão feito do trigo espelta (Triticum spelta).

Christian Alsing-viaVisitCopenhagen
Café latte à dinamarquesa. Foto: Visit Copenhagen.

Pensar nos pães dinamarqueses me lembrou da enorme variedade de queijos encontrada nos supermercados e lojas especializadas. Não sou grande conhecedora do assunto, mas nem na França nem na Itália vi tantos tipos diferentes de queijos como os que encontro na Dinamarca. Além dos queijos produzidos localmente com receitas inspiradas ou copiadas das variedades encontradas na França, Itália e Grécia, na Dinamarca há uns queijos fortíssimos no cheiro e no gosto.  Chamados de “para cortar”, esses queijos têm aparência semelhante a um tijolo de queijo prato.  Para prová-los, é preciso libertar o olfato e o paladar de preconceitos. É bom começar pelos queijos “mellemlagret” (maturação média), que possuem gosto e cheiro mais suaves, dos que pelos “ekstralagret” (maturação extra). Há pouco tempo o site do jornal Politiken publicou um teste de sabor desse tipo de queijo que dá uma boa lista de produtos.

Pão e queijo me levaram a pensar em café e Copenhague deve ser uma das melhores cidades do mundo para se beber um bom café. É fácil encontrar uma boa cafeteria, mas o difícil é escolher o que tomar. A dúvida fica entre espressos simples, cappuccinos (não aquele instantâneo, pelamordedeus!), machiatos, lattes, cortados, americanos, os servidos em cafeteira de prensa, os gelados … Em algumas das boas cafeterias da capital dinamarquesa, vale a pena prestar atenção na habilidade com que os baristas preparam as bebidas. Dá gosto ver e depois – só pra rimar – sorver.

Enhanced by Zemanta
Anúncios

6 comentários Adicione o seu

  1. Julia Høyer disse:

    onde posso comprar o pão dinamarquês no Rio ???? Fazer toda a massa e o processo da trabalho e não consigo fazer isso toda hora aqui no brasil e quando estou em casa na DK é tao fácil comprar … alguém sabe onde posso comprar o Brød aqui no Rio ou online com entrega aqui no Rio ?

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi Julia, achar o pão dinamarquês fresco no Brasil é mesmo complicado mas, em Brasília, eu o encontrava em algumas lojas e lanchonetes que vendiam produtos para vegetarianos. Costumam vendê-lo em duas modalidades: o pão alemão, com massa azeda, e o pão de centeio, sem massa azeda.
      Vários supermercados oferecem os dois tipos industrializados. A marca Wickbold tem três tipos e acabei de descobrir este mapa (http://www.paoalemaohb.com.br/onde-encontrar.aspx) de uma empresa que produz e revende o pão alemão em supermercados do Rio. Boa sorte e abraços.

      Curtir

  2. Diego disse:

    Oi, Margareth! Estive na Dinamarca o mês passado e o que realmente me chamou a atenção foram os pães! Eu costumava comê-los com aquelas fatias de salmão norueguês que já vem temperado e molho remoulade. No geral não me surpreendi com a culinária local, mas ainda sinto saudade dessa combinação.

    Curtir

    1. Oi Diego, o salmão era defumado, não é verdade? Também acho que pão de centeio com salmão defumado é uma delícia, embora alguns dinamarqueses mais tradicionais (e talvez um pouco esnobes) digam que esse peixe deve ser comido com pão branco. Entendo quando você diz que a cozinha da Dinamarca não o surpreendeu. Concordo que ela não é extraordinariamente inovadora, mas acho que o que tem feito a cozinha local se destacar é o uso de produtos de primeiríssima qualidade, frequentemente orgânicos, e o resgate de alimentos e hábitos da antiga cozinha nórdica, que haviam sido esquecidos com a globalização dos nossos hábitos alimentares. Abraços.

      Curtir

  3. Márcia Marmori disse:

    Hummm….. delícia….. só pra dar água na boca!!!

    Curtir

  4. railda disse:

    Adorei!!!

    Curtir

Seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s