Dinamarca salva vidas no trânsito

em
"Morning rush hour on E20" by heb@Wikimedia Commons (mail) - Own work. Licensed under CC BY-SA 3.0 via Wikimedia Commons - http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Morning_rush_hour_on_E20.jpg#mediaviewer/File:Morning_rush_hour_on_E20.jpg
Trânsito na Rodovia E2, em Copenhague. Photo by heb@Wikimedia Commons

A Dinamarca deverá terminar 2014 batendo ou igualando um recorde em vidas salvas. Calcula-se que durante este ano menos de 170 pessoas morrerão no trânsito no país. Se o número ficar abaixo do registrado em 2012, quando houve 167 mortes no trânsito, 2014 será o ano com o menor número de acidentes com vítimas fatais desde que esse tipo de registro começou em 1930. Mesmo que o recorde não seja alcançado, 2014 deverá ter bem menos mortes no trânsito do que 2013, quando 191 pessoas perderam a vida em acidentes nas ruas e estradas dinamarquesas.

Apesar do significativo aumento de vítimas no ano passado, a tendência observada nos últimos dez anos é de redução dos acidentes com mortes no país. Se as estimativas para este ano se confirmarem, a Dinamarca terá menos de 3 mortes por 100 mil habitantes e consolidará seu lugar no topo da lista dos países com trânsito mais seguro do mundo. Mas os dinamarqueses querem salvar ainda mais vidas: a meta é chegar a 120 acidentes com mortes por ano em 2020.

Antes de alcançar essa posição invejável, o país adotou uma série de medidas para evitar repetir a marca de 1971, ano em que 1.213 pessoas morreram no trânsito na Dinamarca. Esse foi o maior número de mortes no trânsito no país desde que começou o registro desse tipo de acidente, em 1930. Já nos anos setenta foram adotados mais e maiores limites de velocidade e a obrigatoriedade do uso do cinto de segurança.

Nos últimos dez anos, depois que o país havia estacionado na marca dos cerca de 400 mortes no trânsito por ano, o governo investiu em segurança e fiscalização das vias e intensificou as campanhas de esclarecimento para mudar o comportamento de motoristas, ciclistas e pedestres governo.

As punições para motoristas e, acredite, também para ciclistas infratores foram aumentadas. As multas para motoristas pegos dirigindo alcoolizados passaram a depender do teor alcóolico e da renda do infrator. Quanto maior a renda, maior a multa. Por exemplo, na primeira vez que uma pessoa é pega dirigindo alcoolizada, ela pode ter de pagar o equivalente ao que recebe como salário líquido.

Conhecer as estatísticas dinamarqueses e compará-las às registradas no Brasil e em outras partes do mundo me faz lamentar as milhares de vidas perdidas em acidentes que, em sua maioria, poderiam ser evitados. Em 2013, pela primeira vez desde 1998, houve redução no número de mortes no trânsito no Brasil, que caíram de 42.844 para 40.451. Os números ainda são absurdamente altos, mas a redução do ano passado e notícias sobre a redução dos acidentes no feriado de natal de 2014 dão motivos para otimismo inclusive porque, como a experiência dinamarquesa mostra, salvar vidas no trânsito é uma missão possível.

Fonte para os dados sobre a Dinamarca:
Conselho para Segurança no Trânsito da Dinamarca (Rådet for Sikker Trafik):
– Fakta og statistik om ulykker (em português, Fatos e estatísticas sobre acidentes)
– Godt år for trafiksikkerheden (em português, Ano bom para a segurança no trânsito)

Anúncios

Seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s