Aniversário real

Bandeirinhas preparadas para mais um aniversário real. Photo de Leif Jørgensen (Wikimedia Commons).

A Dinamarca comemora hoje os 75 anos de sua rainha Margrethe e, há dias, os jornais, canais de televisão e sites daqui não param de falar das festividades, que já duram uma semana.

Como sempre acontece nos dias de aniversário de membros da família real, os ônibus urbanos em todo o país circulam nesta quinta-feira com pequenas bandeiras para lembrar a todos que hoje é o aniversário de uma pessoa muito especial. E, como sempre acontece quando há festividades relacionadas à família real, não consigo deixar de me chocar com o anacronismo que é um país tão igualitário como a Dinamarca gastar tantos recursos públicos para dar privilégios luxuosos a uma família. A família real inteira custa aos cofres públicos aproximadamente 400 milhões de coroas por ano (equivalente a mais de 174 milhões de reais) e não paga um mísero centavo em impostos.

Mas, neste aniversário da rainha, me fez rir o convite que vários veículos de comunicação e sites de notícias fizeram aos dinamarqueses, chamando-os para ir para a rua homenagear a rainha. No site do jornal Politiken, os leitores são conclamados a empunhar a bandeira dinamarquesa e ir para a rua engrossar um dos eventos públicos aos quais a rainha mostrará seu sorriso e acenará para seus súditos. Às 9 da manhã, por exemplo, os súditos foram convidados a acordar a rainha no Castelo Fredensborg, a morada de verão da soberana, na cidade de Hillerød, no norte de Copenhague. Lá, centenas de pessoas se juntam, do lado de fora to castelo, é claro, para acordar a rainha cantando parabéns.

Às 12 h, os dinamarqueses também têm uma chance sen-sa-cio-nal de ver a rainha e sua família, que vão posar na varanda do castelo Amalienborg, a residência da majestade em Copenhague. Logo depois, Margrethe passeia em carro aberto pelas ruas da capital dinamarquesa e, mais tarde, aparece de novo numa varanda, desta vez na prefeitura de Copenhague, para acenar e sorrir gratuitamente.

Rainha, minha xará, não pretendo ir atrás da senhora para tentar ganhar o privilégio de um sorriso ou um aceno seu. Talvez até cogitasse aceitar festejar seu aniversário se tivesse sido convidada para o jantar de gala ontem, quando a senhora reuniu nobres europeus, políticos e autoridades do país. Não sou política, nem autoridade e muito menos nobre, talvez me sentisse deslocada, mas a comida deve ter sido boa e poderia ter sido interessante ver o que é que vocês reais têm de tão especial para merecer uma bolsa família tão generosa do povo dinamarquês.

Anúncios

Seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s