Ilusão

Tenho me sentido incapaz de escrever nas últimas semanas. Anos atrás, minhas tragédias pessoais serviram de combustível para minha vontade e capacidade de escrever, mas o atual drama político brasileiro, no lugar que chamo e sempre chamarei de casa, me choca, entristece e emudece. Tudo sobre o que quero escrever é insignificante e sem importância…

Rotina das pequenas coisas

Diante da luz vermelha na faixa para pedestres, olho para um lado, olho para o outro e, como não vejo carro à vista, meu primeiro impulso é atravessar a rua. Mas, quando me lembro que aqui não preciso me sentir uma idiota por esperar pelo sinal verde na faixa de pedestres, me detenho e só atravesso…

Arrogância de letrado

O pequeno incidente com o Senhor Doutor Engenheiro Químico que relatei meses atrás frequentemente volta à minha cabeça por conta de notícias e observações que tenho reunido. Daí resolvi catalogar a história do ”sou engenheiro e consigo ler as instruções” numa série que também inclui o famoso ”sabe com que é que você está falando?” e o…

Rede social pode fazer mal à saúde

Ando meio desligada e fugindo do Facebook. Publico pouco na minha linha do tempo e tenho evitado olhar minha página de notícias. É um comportamento atípico para alguém que trabalha com mídias digitais há mais de dez anos e vinha usando rotineiramente o Facebook bem antes da rede se tornar popular no Brasil. Ando ocupada,…

Não dá para ser mais concreto?

Conviver com estrangeiros tem contribuído para me entender melhor como brasileira e compreender algumas das minhas dificuldades de adaptação ao modo de ser dinamarquês. Uma queixa que tenho ouvido com alguma frequência de conhecidos estrangeiros que estão vivendo no Brasil é sobre a dificuldade que eles têm de arrancar de um nativo uma resposta objetiva e clara…

O jeito macho de dirigir

Há muitos machos pelas ruas e avenidas dessa cidade brasileira, à solta usando seus carros não apenas como veículos de transporte mas também como um troféu à sua ousadia, esperteza e presumida destreza. Eles estão por toda parte: nas esquinas, cruzamentos, acostamentos e retornos. Quando menos se espera, aparecem em alta ou altíssima velocidade. Eles…

Atordoamento

Há vários dias tenho pensado em escrever sobre as manifestações das duas últimas semanas no Brasil mas devo confessar que fiquei sem saber o quê. Há muitos escrevendo tudo e mais um pouco sobre as manifestações, o que dificulta a tarefa de ser criativa ou dizer algo que contribua para a discussão. Mas a razão…

O direito de ir e vir

Assisti ao vídeo com a entrevista de membros do Movimento Passe Livre (MPL) no programa Roda Viva, da TV Cultura, e fiquei feliz com o que ouvi. Vi coerência no discurso da estudante de direito Nina Cappello e do professor de História Lucas Monteiro de Oliveira, escolhidos para representar o movimento e me alegrei por…

Morenice em extinção ou a identidade descolorida

Quando sonhei em retornar ao seio da pátria amada mãe gentil achei que voltaria a sentir o conforto de ser apenas mais uma na maioria castanha, cabocla, mulata, negra, morena e de cabeleira encaracolada ou crespa. Mas, no meu retorno à terra adorada, essa minha expectativa está sendo frustrada pela ação implacável de tingimentos, descolorações,…

Entre dois tempos

Conviver com a atitude relaxada que muitos brasileiros têm em relação ao relógio depois de viver num país onde algo marcado para, por exemplo, começar as nove horas começa, de fato, às 9 horas nem sempre é fácil. Na Dinamarca, se convidar amigos nativos para um jantar às 18:00 (eles costumam comer mais cedo do…

Tapa na cara

Reaprender a viver em seu próprio país envolve reaprender a conviver com suas dores e mazelas. Enquanto morava na Dinamarca, as férias no Brasil sempre foram motivo de alegria por estar de volta à terra da língua com que quase sempre consigo dizer o que penso e da cultura que me alegra e faz ser…

Um amor de cordialidade

“Mãe, a moça te chamou de querida”, observou minha filha de seis anos depois de ouvir como a vendedora de uma farmácia havia se dirigido a mim para explicar que o estabecimento não tinha o produto que eu estava procurando. No dia seguinte, outra razão de estranhamento: “Mãe, ela te chamou de amor!”, ela reagiu…

“Borboleta na barriga”

O anúncio do meu retorno ao Brasil deixou alguns dos meus parentes preocupados. Para eles, depois de viver 14 anos num dos países colocados no topo dos rankings de desenvolvimento, me readaptar à terrinha pode ser uma tarefa dolorosa. Me falaram de reportagens sobre brasileiros atingidos por crises de depressão causadas pelo encontro com a…

De volta

O subtítulo deste blog precisa mudar logo. Pelo menos por enquanto não sou mais “uma brasileira na Dinamarca”. Estou de volta ao meu país e, se os planos se concretizarem, ficarei por aqui pelos próximos dois anos. O curioso é que meu retorno ao Brasil se deu por conta de uma oportunidade profissional para o…

Questionando o mito da democracia racial

Na última semana dei uma palestra na Universidade de Copenhague a convite do Centro de Estudos Latino-Americanos e da Embaixada do Brasil na Dinamarca, que estavam promovendo a conferência Brasil no século XXI: perspectivas numa sociedade multiétnica (minha tradução para Brazil in the 21st Century: New Perspectives on a Multi-ethnic Society). Fiz uma pequena pesquisa…

Na primeira vez que vier a Copenhague

A tarefa de escrever uma lista com minhas recomendações sobre lugares que eu recomendaria a um amigo visitando a Dinamarca pela primeira vez levou mais tempo e ficou mais longa do que eu havia planejado inicialmente. Por isso decidi dividi-las em vários “postings”, que irei publicando nas próximas semanas. Esta semana, para começar, uma lista…

Desviando o olhar

No segundo dia útil depois de minha volta das férias no Brasil tive de enfrentar uma fila quilométrica, para o padrão dinamarquês, diga-se de passagem, no maior hospital da Dinamarca. Cheguei ao hospital para fazer um electrocardiograma achando que, como de costume, teria de enfrentar uma fila com duas ou três pessoas, seria atendida no…